Seis alunos do 12.º ano – Ainara Silva, Alice Costa, Bárbara Laroze, Daniela Ventura, João Resende e Lourenço Lima – deslocaram-se a Paris, na semana de 3 a 9 de fevereiro, para participar na segunda visita de estudo do projeto «MOVE», integrado nas parcerias multilaterais ERASMUS+.
Durante uma semana os alunos assistiram a palestras, realizaram workshops, recolheram e analisaram dados de campo e apresentaram, no final, os resultados do trabalho desenvolvido.
O programa abordou vários eixos temáticos relacionados com a mobilidade.
No que respeita a Mobilidade Suave, os alunos experimentaram percorrer as movimentadas ruas de Paris em bicicleta elétrica, sendo o Porto a cidade que menos utiliza este meio de transporte, comparativamente com as restantes cidades dos seis países envolvidos [Alemanha, França, Grécia, Itália, Lituânia e Portugal].
A atividade relacionada com a Acessibilidade para Todos, foi, sem dúvida, a que mais sensibilizou os alunos e professores presentes: utilizando cadeiras de rodas, os alunos tiveram que se deslocar da escola de acolhimento [Lycée Auguste Renoir], localizada em Asnières-sur-Seine, até ao centro de Paris, utilizando somente transportes públicos. Foi um percurso duríssimo, no qual tomámos verdadeira consciência das imensas barreiras físicas com que uma pessoa com uma incapacidade motora se depara num contexto urbano.
Após esta experiência, formaram-se grupos de discussão e sistematizaram-se as questões a colocar aos membros do Parlamento Europeu, com os quais iríamos reunir durante a semana.
Em Bruxelas fomos recebidos pela deputada Christine Revault d’Allones, membro da Comissão dos Transportes e do Turismo.

Além das perguntas relacionadas com as políticas e medidas existentes/ a implementar para diminuir as barreiras à acessibilidade para todos nas cidades, foram ainda levantadas questões relacionadas com o impacto ambiental do tráfego aéreo e dos navios de cruzeiro, no que respeita às emissões de Gases com Efeito de Estufa [GEE] e de partículas atmosféricas. Relativamente aos navios de cruzeiro, foram, ainda, abordados os gravíssimos impactos relacionados com a poluição das águas marinhas e com o transporte de espécies exóticas potencialmente invasoras nas águas de lastro e casco dos navios, ao longo das rotas de navegação.
Todas estas reflexões serão materializadas num artigo a publicar numa newsletter no EuroCité [http://eurocite.eu/].
Na escola, o grupo ERASMUS+ foi dividido, ao longo da semana, em quatro workshops: «Movement in Art», «Bike-Repair», «Mobility Questionnaire» e «Travel Game».
Neste último, fizeram-se simulações comparativas de viagem entre as seis cidades do projeto [Hamburgo, Asnières-sur-Seine, Salamina, Rho, Taurage e Porto] contabilizando as variáveis tempo, dinheiro e emissões de GEE associadas.
No final da semana, e após a apresentação dos resultados, delinearam-se novas tarefas, cujos resultados serão apresentados durante a próxima mobilidade, na Lituânia, na semana de 24 a 30 de março.