O Colégio Luso-Francês marcou presença na final da XVII edição do concurso internacional Ciencia en Acción, realizado de 7 a 9 de outubro em Algeciras, Espanha.

Em 437 projetos candidatos de dez países [Portugal, México, Andorra, Colômbia, Perú, Argentina, Venezuela, Marrocos, Alemanha e França], o Hugo Petiz Lousã, a Maria Luísa Silva e a Sara Reis Cunha apuraram-se para a final com o projeto AlgaFit, desenvolvido ao longo do ano letivo, na disciplina de MIP.

O projeto desenvolvido pelos três alunos focou-se na pesquisa do efeito inibitório de extratos de macroalgas vermelhas da costa portuguesa no crescimento do fungo Phytophtora cinnamomi, responsável pela doença-da-tinta em várias espécies arbóreas portuguesas.

O projeto do CLF foi o único representante nacional na categoria “Sustentabilidade”, uma das dezoito categorias a concurso.

O concurso Ciencia en Acción é uma iniciativa conjunta da Fundação Cellex, da Fundação Lilly, do Instituto de Ciencias Matemáticas [ICMAT], da Real Sociedad Española de Física [RSEF], da Real Sociedad Española de Química [RSEQ], da Sociedad Española de Astronomía [SEA], da Sociedad Española de Bioquímica y Bilogía Molecular [SEBBM], da Sociedad Geológica de España [SGE] e da Universidad Nacional de Educación a Distancia [UNED]. Todos os anos, a final do concurso reúne educadores e comunicadores de Ciência do Ensino Superior e Pré-Universitário, de países de língua oficial espanhola e portuguesa. O programa Ciencia en Acción coordena-se com vários programas científicos europeus como o “Science on Stage”  – no qual o CLF se apurou, este ano, para representar Portugal na Hungria, em 2017 – e instituições científicas integradas na EIROforum CERN [European Organisation for Nuclear Research], da ESA [European Space Agency], da ESO [European Organisation for Astronomical Research in the Southern Hemisphere], da EFDA [European Fusion Development Agreement], da EMBL [European Molecular Biology Laboratory], da ESRF [European Synchrotron Radiation Facility], da European XFEL [European XFEL Free-Electron Laser Facility] e da ILL [Institut Laue–Langevin]. Todas estas instituições científicas promovem a divulgação e a melhoria do ensino das ciências na Europa, bem como a aproximação dos diferentes públicos da sociedade civil à academia, objetivando, desta forma, o reconhecimento dos benefícios da investigação na resolução de problemas concretos do mundo contemporâneo.

Muitos parabéns à Luísa, à Sara e ao Hugo pela excelente defesa do projeto.

 

Galeria de Fotos