O Colégio Luso-Francês desenvolve desde 2014 projetos educativos na área das Ciências Aeroespaciais com alunos do 12.º ano, enquadrados na disciplina de MIP [Metodologias de Investigação em Projeto].
Com esta oferta curricular de escola pretende-se não só fomentar a metodologia de projeto em contexto escolar, como criar parcerias com universidades, centros de investigação e empresas.
Os alunos da área científico-tecnológica têm desenvolvido microsatélites e cápsulas instrumentadas para rastreamento da atmosfera e da estratosfera, respetivamente.
Os dados gerados são posteriormente analisados pelos alunos contribuindo para o aumento da literacia científica neste domínio.
O LUSOBEE, assim designada a cápsula instrumentada do CLF, ascendeu à estratosfera no dia 7 de junho de 2016, alcançando 26.9km de altitude.
Após duas horas de ascenção deu-se o rebentamento do balão acoplado à cápsula, iniciando-se a sua queda, auxiliada por um paraquedas.
A aterragem ocorreu a norte de Amarante.
O LUSOBEE insere-se numa iniciativa mais vasta, designada como BEE [Balões Estratosféricos na Escola], promovida pelo Professor Sérgio Reis Cunha, docente do Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto [FEUP].

 

Vídeo