No verão passado, um grupo de alunos do Colégio Luso Francês, acompanhados pela professora Ana Leite, participaram numa Expedição Científica de duas semanas na Croácia, para ajudar em trabalhos de recolha de dados científicos, levados a cabo pela Opwall.

Vimos por este meio convidar para a apresentação da Expedição Científica de duas semanas ao Bornéu, a realizar no Verão de 2019 [30 Junho a 13 de julho] para ajudar em pesquisas científicas sobre biodiversidade levadas a cabo pela Operation Wallacea.
Esta apresentação terá lugar no dia 12 de Março pelas 18h30 no Colégio Luso-Francês. A expedição está aberta à participação de qualquer aluno interessado em Biologia, Ecologia e Conservação, com idades compreendidas entre os 16 e 18 anos de idade.

A floresta protegida de Lesan no Borneo é limitada pelo rio Kelay e nessa zona de proteção pretende se fazer um local de libertação de orangotangos reabilitados. Lesan está quase completamente cercada por plantações de óleo de palma, embora haja um corredor estreito da floresta que une a floresta protegida às florestas mais vastas e intactas após as plantações de óleo de palma. A operação Wallacea foi convidada pelo governo de Berau para ajudar a identificar a fauna das florestas de Lesan e, em seguida, estabelecer um protocolo de monitoramento padronizado que possa identificar qualquer alteração ao longo do tempo.
Nesta expedição os estudantes passarão 2 semanas no Kalimantan Oriental. A primeira semana será no campo da floresta de conservação de Lesan. Durante a semana na floresta, os alunos participarão de um curso de conservação e vida selvagem do Bornéu e ajudarão com as pesquisas de biodiversidade da Opwall.
Após a primeira semana, o grupo viajará para a Ilha de Derawan. Aí, os alunos aptos para tal, completarão um curso de mergulho [PADI Open Water] e todos os alunos completarão um curso de ecologia marinha.
Os alunos que já estão treinados [ou aqueles que não desejam ou não podem mergulhar] participarão de uma versão mais aprofundada do curso, que incluirá práticas na água, mergulhando ou fazendo snorkeling. À parte das obvias mais valias de participar numa expedição como esta, tais como, contribuir para a conversação, o desafio físico e a aventura da viagem, a conversação intensiva em Inglês durante duas semanas, a aprendizagem e motivação para os estudos, esta experiência pode ainda beneficiar o aluno melhorando as suas possibilidades nos concursos de acesso a Universidades estrangeiras ou melhorando o seu curriculum para futuras candidaturas de emprego.